como será, o calor das costas
e a prática daquela cintura
os banhos na pedra escorregada e a lonjura
aonde chegam os olhos
como será a dobra, a guarda e a fronte adornada
da noite calada e confusa
o caldo de moqueca dela, como será
o canto quarto daquele sorriso, e quando
molhados os cabelos, como será
o sorriso
as cartas pedindo volta, amigo
como está indo a fábrica
de sonhos do seu dia; como será
quando rouca mas suave aquela voz
a cantar ainda assim linhas da lírica
brasileira ouvindo lee&eller&duncan&salmaso, como será
dormir no quente
daquele regaço
– –

Deixe uma resposta

Post Navigation