haiku em quadrinhos

Um dos exercícios tradicionais da evolução da escrita em versos está em fabricar, a partir de uma imagem, um poema. Este exercício funciona em salas de aula porque estimula a turma a praticar os esforços da versificação (ritmo, figuração, concisão etc) dando um passo de tradução, passo este que pode voltar à ancoragem referencial, ponto de partida comum e estimulante em sua potência sugestiva amplamente indefinida, para fazer das discussões comparativas ainda um terceiro produto, aberto, dialógico, novamente enriquecedor.

Saúde Ibeji!

Tenho em casa um tambor de estudante. Busquei na Vila Madalena, perto da Cardeal Arcoverde. Apresento este registro para assegurar a meu parceiro taurino um estatuto civil reconhecível. Nome, data de ingresso na vida nova, ocupação.

Vê-se que o menino aparece ingresso na escolinha Yoga&Study, bilíngue, em cuja missão perpassa o anseio de forjar as bases da ginástica-rímica yogangola. Mistura preceitos do receituário prático por trás da espiritualidade hindu e da Capoeira de Angola. É começo. Cedo pra dizer se vou virar percussionista. Mas posso adiantar: tirar uns minutos do dia para desenhar figuras rítmicas, repetindo-as até tornarem-se padrões: taí um jeito em conta e útil de unir concentração engajada e divertida com reboot cerebral.