dois poemas

BENFICA

das guerras que sempre respiram
em algum lugar do mundo,
pousa aqui este
atrito
contra a tarde pronta para
esmurrar meu abraço
na lembrança de você dizendo caminhar
por uma cidade
desconhecida é tomar a vida
de alguém
emprestada,
contra a luz (e seu monólogo,
esta milonga), esta
bela infelicidade a jogar
ligue-os-pontos
com cumeeiras, árvores
e sombras do bairro
unidas sem voz
como em uma
língua
de estátuas

Diego Vinhas (n. 1980), em seu livro Nenhum nome onde morar, 7Letras, 2014

DIZ O AGENTE GENÉRICO ZUMBI DO SISTEMA

  % cidadão % atualize seu pacote germinal d dados móveis p/
novo recenseamento disponível tbm através d coleta sanguínea
em qqr % espaço nave médica % autorizada %
  ao descumprir-se % a pena é de ruptura da sequência (doutro
modo ininterrupta) d todas as suas etapas reprodutivas % e d
sua família % e de sua espécie tbm % involução compulsória
fulminante a ser induzida % % pela Paróqia do Extermínio %

Reuben da Rocha (n. 1984), fascículo 2 de 6 de Siga os sinais na brasa longa do haxixe

Deixe uma resposta

Post Navigation