explicação em germe

Aceitar um tempo filosófico não será sofrê-lo entre o arbítrio da invenção e o diluir-se da entrega como se tais polos já não passassem de inflexões de certo isocronismo pendular.

Desenhei, para entender melhor, o comum de um alumbramento, decerto auxiliado por algum paráclito. Ele diz que a produção do real é consequência de uma transcri(a)ção; esta, de uma situação de paralelismo. Na outra folha de vidro corre um código.

Este código fica onde está, informado por inteligências interessadas, divinizando as divinações dos homens. Este produz um real em verdade função, porque premido pelo desejo e estabanado no desenho, em vez de origem.

O espaço para a fé neste princípio: nem se leitura não bastasse, a gravidez constante da influência acelerada ao afã especular.

Comments are closed.

Post Navigation