uma tradução: samuel beckett

cascando

por que você não foi meu simples desespero
um ocaso de palavras
melhor abortar ou ser infértil?

depois que você foi, as horas se arrastaram
desde cedo
garras fincando cegas a cama do ardor
os ossos que o velho gosta exaltando
choças que seus olhos já ocuparam
sempre tudo melhor cedo do que nunca
pardo desejo espalhado nas caras
dizendo de novo nunca aboiaram nove dias os amados
nem nove meses
nem nove vidas

dizendo de novo
se você não me ensinar eu não aprendo
dizendo de novo há uma última
última das últimas
chances de começar
chance de amar
de fingir não saber não saber
das últimas a última das últimas chances de dizer
se não me amar não serei amado
se eu não te amar nada amarei

a chusma das velhas palavras outra vez no coração
amor amor amor o tranco do velhaco
pilando o inalterável
canto das palavras

de novo é apavorante não amar
de amar mas não você
de ser não mais amado mas por outro
de fingir saber não saber
fingindo

eu e os outros todos que amaremos
você
se eles te amarem

* * *

cascando

why were you not simply what I despaired for
an occasion of wordshed
is it better to abort than be barren

The hours after you are gone are so leaden
they will always start dragging too soon
the grapples clawing blindly the bed of want
bringing up the bones the old loves
sockets once filled with eyes like yours
all always better too soon than never
the black want splashing their faces
saying again nine days never floated the loved
nor nine months
nor nine lives

saying again
if you do not teach me I shall not learn
saying again there is a last
even of last times
last times of begging
last time of loving
of not knowing not knowing pretending
a last even of last times of saying
if you do not love me I shall not be loved
if I do not love you I shall not love

the churn of old words in the heart again
love love love thud of the old plunger
pestling the unalterable
whey of words

terrified again of not loving
of loving and not you
of being unloved and not by you
of knowing not knowing pretending
pretending

I and all the others that will love you
if they love you


* * *
Conforme versão remetida a Seuman O’Sullivan em julho de 1936
publicada em The Letters of Samuel Beckett 1929–1940
* * *

Comments are closed.

Post Navigation